Sobre a APG

Introdução

A Associação Portuguesa de Gagos foi fundada em Agosto de 2005. É uma associação de âmbito nacional com sede na freguesia de Alqueidão no concelho da Figueira da Foz. É desde 2011 membro da European League of Stuttering Associations.

Os seus principais objectivos são:

  • Representação e defesa dos direitos das pessoas que gaguejam, bem como o apoio e divulgação de medidas preventivas e terapêuticas;
  • Criação de um espaço de partilha de vivências para pessoas que sentem e vivem a gaguez no dia-a-dia;
  • Sensibilização da sociedade civil em geral e dos poderes públicos em particular para a necessidade de medidas de apoio às pessoas com gaguez;
  • Contribuição para tornar a gaguez mais reconhecida socialmente, mais investigada clinicamente e mais ajudada institucionalmente.

 

Princípios

  • A Associação Portuguesa de Gagos tem como princípio fundamental a dignidade inquestionável da pessoa com gaguez.
  • A Associação Portuguesa de Gagos entende a gaguez enquanto forma de comunicação de pleno direito.
  • A Associação Portuguesa de Gagos promove a aceitação como passo essencial para uma relação mais salutar com a gaguez, rumo a um maior bem-estar interior e uma maior realização pessoal.

 

Missão

A Associação Portuguesa de Gagos tem como missão a “representação e defesa dos direitos e interesses das pessoas que gaguejam, bem como o apoio e divulgação de medidas preventivas e terapêuticas”.

Temos o anseio de representar os cerca de 100 000 gagos portugueses (cerca de 1 % da população), que no seu dia-a-dia se deparam, na primeira pessoa, quer com esta perturbação da fluência quer com as atitudes da população face a ela.

Um dos nossos principais desideratos é combater a falta de informação da sociedade sobre gaguez, que acaba por diminuir a identidade do gago, associando-lhe um conjunto de características desqualificantes que não encontram qualquer suporte intelectualmente honesto; mais que a dificuldade em conseguir um discurso fluido, mais que a dificuldade em dizer esta ou aquela palavra, são estas as mais perniciosas consequências da gaguez.

No que à gaguez diz respeito, somos “leigos” - temos “apenas” o saber de experiência vivida. Por isso, ninguém melhor do que nós para dar testemunho das nefastas consequências, a nível clínico e humano, da ligeireza com que a gaguez é por vezes tratada. Queremos por isso estar na primeira linha da informação e sensibilização em torno da gaguez; nomeadamente, fazer a ponte entre a Ciência e as pessoas que se deparam com a gaguez; aqueles que (con)vivem com ela na primeira pessoa ao longo de uma vida — pais que se deparam com um filho que começa a desenvolver alguns sinais de gaguez, professores que querem saber como podem ajudar um aluno gago.

Apesar de ser geralmente vista como um problema, sabemos que a gaguez não tem de ser um problema. Não pretendemos deixar de viver o resto das nossa vidas por sermos gagos, não vamos deixar a gaguez impedir-nos de ser felizes.

Somos profissionais competentes, pais e mães cuidadores, companheiros dedicados. Seres humanos capazes de fazer a diferença na sua comunidade, no seu ambiente profissional, entre os seus amigos e familiares.

Não temos vergonha da gaguez. E se não temos qualquer orgulho especial em ser gagos, a verdade é que temos muito orgulho do caminho que percorremos na nossa relação com a gaguez.

A gaguez é apenas uma das muitas características que existem em nós, e de maneira nenhuma a mais importante. Somos seres humanos completos, dignos de ser escutados.

 

Objectivos

A APG pretende intervir no espaço público não só alterando as representações sociais de quem gagueja junto da população em geral, mas também promovendo uma nova narrativa junto de quem gagueja: promovemos uma aceitação sem resignação da gaguez, e afirmamos que a gaguez não tem de ser vivida como tragédia ou fatalismo — e que é possível viver vidas plenas de realização pessoal e profissional mesmo com a gaguez. A APG pretende assim também ser um espaço de partilha e inspiração mútua. A Associação Portuguesa de Gagos é onde normalizamos a nossa diferença.

 

São objectivos da Associação Portuguesa de Gagos:

– Representar e defender os direitos e interesses dos gagos portugueses, nomeadamente obtendo informações e mantendo informados os seus associados, e por eles pugnar, no que à gaguez diz respeito, sobre a efectivação dos seus direitos cívicos, bem como sobre direitos e facilidades que eventualmente lhes possam advir;

– Promover a partilha de experiências e os laços de solidariedade entre os gagos portugueses, com vista ao desenvolvimento de um sentido de pertença e a um maior bem-estar;

– Consciencializar a sociedade para a questão da gaguez, e lutar contra a discriminação em razão desta, nomeadamente eliminado mitos e estereótipos que desqualifiquem a pessoa gaga, por meio da divulgação de informação;

– Sensibilizar os poderes públicos para a necessidade de medidas de apoio às pessoas com gaguez;

– Desenvolver acções de divulgação e de informação para gagos, seus familiares, outros públicos específicos, poderes públicos e comunidade em geral, sobre a gaguez e assuntos relevantes para as pessoas que gaguejam;

– Organizar debates, conferências e eventos culturais sobre gaguez e assuntos relevantes para as pessoas com gaguez;

– Apoiar o desenvolvimento de projectos de investigação teórica e aplicada nas áreas científicas relevantes para o avanço do conhecimento relativo à gaguez e ao bem-estar e direitos das pessoas com gaguez.

 

orgaos-sociais   estatutos   carta-direitos   folhetos-informacao   aderir

 

 

Sobre a APG

A Associação Portuguesa de Gagos foi fundada em Agosto de 2005.

É uma associação de âmbito nacional com sede na freguesia de Alqueidão, concelho da Figueira da Foz.

É desde 2011 membro da European League of Stuttering Associations.

Contactos

Associação Portuguesa de Gagos

adress Rua Principal, 78, Negrote, Alqueidão 3090-834 Figueira da Foz Portugal

phone 910 155 871

email gaguez@sapo.pt

Redes Sociais

facebook

Dia Internacional de Consciencialização para a Gaguez

laco    22 de Outubro